O que é Autoliderança, como desenvolver e os impactos na carreira e gestão

Como desenvolver a autoliderança? Confira as qualidades necessárias para ter êxito no gerenciamento da própria carreira e na gestão de times.
BAIXE GRÁTIS!

Aqui você encontra:

A autoliderança é uma competência muito desejada pelas empresas que buscam inovação e desenvolvimento de talentos. Afinal, o fator humano é um dos aspectos mais valorizados nas últimas décadas, além de ser fundamental para o sucesso das organizações. 

Inclusive, profissionais capazes de exercer a gestão da própria carreira são disputados pelo mercado de trabalho e frequentemente notados nos processos seletivos.

Neste conteúdo, entenda o que é autoliderança e quais são seus benefícios para a empresa e para o colaborador. Confira também como desenvolver essa habilidade tão requisitada pelas empresas. 

O que é autoliderança?

A definição de autoliderança está explícita no próprio termo: é a habilidade de se liderar. Com ela, o indivíduo assume o controle e a responsabilidade sobre sua trajetória profissional. Desse modo, ele mesmo busca a motivação necessária para atingir seus objetivos, desenvolvendo capacidades e habilidades necessárias para isso. 

A autoliderança proporciona autoconfiança, foco e resiliência. Assim, o profissional tem liberdade e autonomia para exercer pensamentos e comportamentos da forma que julgar mais conveniente para a carreira. Ainda, profissionais que exercem a autoliderança conseguem controlar emoções e investem no autoconhecimento para compreenderem quais são suas atribuições e ambições. 

Qual sua importância?

A autoliderança é uma ferramenta importante para quem deseja atingir objetivos pessoais e profissionais. Isso é possível porque, com iniciativa e em constante desenvolvimento, os indivíduos conseguem aumentar a produtividade no trabalho. O resultado é o crescimento de ambos: colaborador e empresa. 

Além disso, a autoliderança é uma ótima influência para os demais colaboradores. Já que, quando um profissional toma as rédeas da própria carreira, a equipe se sente motivada a fazer o mesmo, agindo com mais independência e pró-atividade. 

Com isso, concluímos que a autoliderança é uma característica inspiradora, principalmente quando o exemplo vem dos gestores e líderes. 

Quais os benefícios da autoliderança?

Ser autônomo e gerir a própria carreira oferece vantagens para os profissionais e para as empresas. Sem dúvida, um dos grandes benefícios da autoliderança é o ganho de tempo para investimento em outras tarefas. Uma vez que, ao ser autônomo e assumir responsabilidades, o profissional não depende da supervisão de outras pessoas para concluir suas tarefas. 

Benefícios pessoais

  • relacionamentos mais saudáveis;
  • menos estresse;
  • sentimentos de satisfação e felicidade;
  • resiliência;
  • sensação de conquista.

Benefícios organizacionais

  • mais criatividade e inovação;
  • decisões mais rápidas e assertivas;
  • maior engajamento;
  • definição mais clara dos objetivos e resultados;
  • grupo mais esforçado e colaborativo.

Como vimos, os benefícios da autoliderança são muitos. No entanto, não podemos esquecer que ela traz grandes responsabilidades. Por isso, para ter êxito, o profissional precisa ter comprometimento e empenho para superar obstáculos e alcançar resultados

Como desenvolver a autoliderança?

Para desenvolver a autoliderança, o profissional deve considerar diversos fatores. Ainda, para conseguir avançar nesse processo, é fundamental realizar uma investigação interna e conhecer os aspectos próprios da personalidade. Logo, a autoliderança está ligada ao autoconhecimento. Confira outros pontos importantes nessa jornada. 

Autoconhecimento

A base para o desenvolvimento da autoliderança. Nesse sentido, profissionais que têm consciência profunda sobre sua personalidade e clareza em relação aos seus princípios, valores e objetivos, saem na frente quando o assunto é autoconhecimento. 

Mas esse processo pede que o indivíduo revise suas crenças limitantes, pois elas costumam impedir a evolução profissional e pessoal. Como consequência, ter domínio sobre qual direção seguir. 

Autodeterminação 

Para liderar um time ou a própria carreira, é fundamental ter confiança e determinação. Trata-se de características que tornam o indivíduo resiliente e capaz de enfrentar os desafios em busca de resultados. 

Além disso, um perfil líder consegue motivar outros integrantes do grupo. Portanto, na autoliderança acontece o mesmo. A mudança mais significativa, nesse caso, é que gerir a própria carreira primeiro estimula o profissional, para depois afetar o ambiente externo. 

Espaço para aprender

Evolução é a palavra para profissionais que desejam desenvolver a autoliderança. Por isso, quem pretende assumir o controle e a gestão da própria carreira precisa reservar espaço na agenda para desenvolver novas habilidades ou para aperfeiçoar competências que já tem. 

Desse modo, o aprimoramento deve ser uma meta dos profissionais que se dedicam ao processo de autoliderança. É uma caminhada contínua que deve ser norteada pela busca de novos conhecimentos e experiências que atendam às necessidades do indivíduo. 

Responsabilidade

A responsabilidade é uma característica intrínseca de quem exerce a autoliderança. Comprometer-se com princípios e valores e utilizá-los para se automotivar é fundamental nesse caso. E o mais importante: a responsabilidade em assumir tarefas e enfrentar desafios aumenta a autoconfiança e afasta o medo de tomar decisões. 

Disciplina

Outra característica indispensável para quem pretende desenvolver a autoliderança é a disciplina. Já que ela é a ferramenta para conquistar qualquer objetivo e pessoas disciplinadas conseguem manter o foco para fazer o que é necessário. Sem disciplina, fica quase impossível manter um planejamento para chegar aos resultados esperados.  

Liberdade

Para liderar é necessária uma boa dose de autonomia e capacidade de decisão. Por isso, não faz sentido ficar preso aos paradigmas sociais e preceitos limitantes. Ser autêntico é uma condição indispensável. O profissional que escolhe o caminho da autoliderança deve ter liberdade de pensar por si, sem medo dos julgamentos alheios

Percepção

A percepção sobre as experiências vividas e sobre o que acontece ao seu redor é uma qualidade agregada ao autoconhecimento. Ela permite compreender com clareza o que deve melhorar e o que evitar nas suas atitudes. Um bom exercício é a observação dos outros e de si, sem pré-julgamentos. Para tanto, analise atitudes, decisões e estratégias utilizadas durante sua trajetória profissional e aprenda com tudo o que viveu. 

Planejamento

A percepção de si e dos demais amplia a capacidade de projetar onde o profissional deseja chegar e o que espera conquistar a curto, médio e longo prazo. Portanto, planeje metas para os estudos e para os momentos de lazer, incluindo uma lista de realizações profissionais e conquistas que espera alcançar

Consciência

Uma atitude que pode boicotar todo o processo é o excesso de autoconfiança, característica de pessoas que acreditam estar certas na maioria das situações e têm dificuldade de entender o outro, não aceitando visões diferentes das suas. Portanto, ter consciência de que a autoliderança não é um super poder, mas uma qualidade benéfica para a carreira profissional é fundamental. 

Como a autoliderança ajuda a gerir pessoas? 

A resposta para essa pergunta está na lógica: quem consegue se liderar com eficiência, consegue ser um grande líder de equipes. Bons líderes costumam inspirar pessoas e demonstram credibilidade pelo comportamento e pelos exemplos a serem seguidos. 

Ao desenvolverem a autoliderança, esses profissionais conseguem impactar o ambiente organizacional e instigar os demais a seguirem pelo mesmo caminho. Ainda, líderes têm estabilidade emocional, segurança para decidir e resiliência, características que se destacam perante às equipes. 

Nesse sentido, o conhecimento adquirido com a autoliderança torna o profissional apto a compreender mais as necessidades e os comportamentos dos demais. Dessa maneira, ele consegue extrair o melhor de cada um em benefício do todo. 

Por esses motivos, a autoliderança é fundamental para quem quer liderar equipes de alta performance, especialmente aquelas que precisam lidar com a pressão constante em busca de resultados

IMPULSIONE SUA CARREIRA!

Como o RH pode estimular a autoliderança?

Como sempre dizemos aqui no blog, o RH se tornou protagonista nas estratégias organizacionais. Isso graças ao gerenciamento que o setor faz sobre um dos recursos mais importantes para as empresas: as pessoas. 

Desse modo, ainda que um profissional tenha iniciativa de gerir a própria carreira, se a organização não lhe der suporte, ficará mais difícil para ele desenvolver a autoliderança. E o primeiro passo deve ser do RH, inserindo os preceitos da autoliderança na cultura organizacional.

Nesse contexto, os profissionais da área sabem que a cultura de uma empresa pode estimular ou desestimular comportamentos. Portanto, se a organização destaca a autonomia e a autossuficiência em seus valores, ela favorece um ambiente de trabalho propício à formação de profissionais mais independentes. 

Já falamos aqui sobre o exemplo: gestores, diretores e chefias imediatas podem e devem guiar por meio de suas ações. Mas o RH também é responsável por cobrar e incentivar essa mentalidade. Assim, é fundamental que o setor acompanhe os membros de maior visibilidade na equipe para verificar se eles colocam em prática aquilo que pregam.  

Como a gestão comportamental e o Profiler ajudam a autoliderança?

Agora que você conhece os passos que precisa seguir para desenvolver a autoliderança, confira como a tecnologia pode auxiliar utilizando a gestão comportamental

O Profiler é um software desenvolvido pela Sólides, bastante completo e capaz de identificar características individuais dos colaboradores. A ferramenta permite fazer um mapeamento comportamental baseado em 7 metodologias, entre elas, a DISC.

O grande diferencial do software é a possibilidade de obter, em apenas 5 minutos, mais de 50 informações sobre o indivíduo. Nesse sentido, ele fornece dados sobre competências, níveis de energia para o trabalho, pressões enfrentadas, fatores motivacionais, causas de afastamentos, estilos de liderança e histórico individual. 

Com o Profiler, o setor de RH consegue desenvolver talentos e focar nas principais competências do colaborador. Ainda, em um único software, a empresa pode ter:

  • recursos de coaching;
  • treinamentos;
  • liderança;
  • autoconhecimento;
  • gestão de pessoas;
  • recrutamento e seleção;
  • aumento da produtividade;
  • redução de custos de contratação. 

Já imaginou como todas essas soluções podem contribuir para desenvolver a autoliderança? Tudo isso com altos níveis de precisão e validação de duas importantes instituições de ensino, a Universidade de São Paulo (USP) e a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). 

Esperamos que esse conteúdo abra espaço para o desenvolvimento de novos líderes na sua organização. Lembre-se que, para liderar bem, é fundamental saber liderar a si mesmo. Ademais, as ferramentas para isso estão à disposição, basta colocar os conhecimentos em prática e extrair o máximo de eficiência possível de cada profissional.

Para se aprofundar mais no assunto, baixe nosso e-book gratuito sobre mapeamento comportamental e descubra como a Sólides pode auxiliar sua empresa nesse sentido. 

Sabrina Siqueira
Sabrina Siqueira
Sou apaixonada por Gestão de Pessoas desde sempre! Me tornei especialista em Gestão Comportamental, cursei administração com Ênfase em Comercio exterior (UNA), fiz Pós Graduação em Gestão Comercial e Vendas. Atualmente também sou facilitadora da Formação Analista Comportamental Profiler e Sales Enablement do time de New MRR da Sólides
Compartilhe:

Você também vai gostar!

Rolar para cima