DISC: o que é e como analisar o perfil DISC corretamente

Tempo de leitura: 14 minutos

Quer saber como analisar o perfil DISC, mas está sem tempo para ler? Dê play no áudio abaixo para ouvir o conteúdo!

O DISC é uma das ferramentas para uma gestão eficiente de Recursos Humanos, ajudando a prever reações dos colaboradores às situações e aos desafios. Essa informação auxilia nas tomadas de decisões para promover recrutamentos, seleções, capacitação e atividades para o desenvolvimento das equipes. Por isso, saber analisar o perfil DISC é fundamental.

As habilidades comportamentais — também conhecidas como soft skills — são subjetivas. Ao contrário das capacidades técnicas, é preciso de testes e metodologias diferentes para conseguir detectá-las em cada candidato.

https://drive.google.com/file/d/1N-Hh7HWo8yWcyp0VtLm5Yk1qenYYebi-/view?usp=sharing

Mas como obter esse dado tão subjetivo? Apesar da profusão de possibilidades, a psicologia consegue definir padrões de atitudes que são tomadas pelos profissionais. Ao analisar o perfil DISC, os gestores de RH e psicólogos podem apontar esses modos de conduta.

Continue a leitura para entender o que é DISC e o que fazer com os resultados propostos pelo teste DISC!

A definição do que é DISC

Conhecer mais sobre o comportamento das pessoas é uma questão que intrigou diversos estudiosos ao longo dos anos. O DISC é uma metodologia para fazer a avaliação comportamental a fim de identificar os perfis dominantes de uma pessoa.

O método DISC compreende que existem quatro perfis de comportamentos que predomina entre os indivíduos: dominância, influência, estabilidade e conformidade. Essa teoria foi desenvolvida a partir de estudos do Dr. William Moulton Marston, um psicólogo americano que buscava entender como o ambiente impacta a percepção das pessoas.

A ferramenta de avaliação DISC foi desenvolvida pelo pesquisador Walter Vernon Clarke. A intenção foi de estabelecer uma maneira de decifrar as competências socioemocionais dos seres humanos, a fim de prever a tendência comportamental em determinados cenários.

O modo de viver, as influências familiares e ambiente de trabalho são fatores que impactam em algumas características humanas. Por isso, segundo a teoria DISC é possível decifrar quatro perfis predominantes.

É por isso que essa metodologia é muito utilizada dentro das organizações. Ela ajuda a definir um pouco sobre cada pessoa que está se candidatando para determinada vaga, ajudando a estabelecer os perfis dentro da empresa.

A criação do DISC

Como dissemos, o psicólogo William Moulton Marston é um dos principais responsáveis pela criação do DISC. Em 1928, ele publicou “As Emoções das Pessoas Normais”, a obra não era voltada para gestão de pessoas, mas dissertava sobre quatro principais dimensões do comportamento humano: dominância, indulgência, submissão e compliance. 

A teoria criada por Marston leva em consideração o peso de pressões internas e externas na tomada de decisões pelos indivíduos. Por se tratar de uma avaliação comportamental, analisar o perfil DISC dos profissionais se tornou uma atividade cada vez mais popular também entre os gestores de RH. 

Para possibilitar esse monitoramento, diferentes ferramentas foram criadas e desenvolvidas. Walter Clarke, também psicólogo, utilizou os estudos de Marston e, em 1945, desenvolveu um instrumento para detectar o perfil DISC das pessoas. Desde então, essa avaliação tem se aprimorado, até chegar aos modelos atuais de testes DISC. 

O teste DISC

O teste DISC é aplicado por meio de questionários e formulários. Com as respostas, é possível gerar métricas que indicam comportamentos e competências dos colaboradores avaliados. 

Em geral, os testes são de múltipla escolha, e demandam respostas diretas sobre temas como preferências pessoais, opinião e atividades que mais gosta de desempenhar. O resultado vai apontar a característica dominante do indivíduo. 

A partir dessa análise, os gestores obtêm indícios relevantes para traçar o perfil dominante dos profissionais, incluindo seus pontos fortes e pontos a melhorar, assim como o potencial que podem atingir na empresa.

Essas informações embasam as ações estratégicas que serão tomadas pela equipe de RH, tais quais o recrutamento, seleção, elaboração de plano de carreira, promoções, mentoring, coaching, definição de ações para elevar o engajamento e desempenho das equipes e gerenciamento de conflitos, por exemplo. 

Banner_GIF_Profiler

Os 4 perfis DISC

Todas as pessoas têm características de todos os quatro perfis DISC. Contudo, tendem a agir predominantemente conforme um deles. Isso se reflete no resultado do teste, que pode apontar para qualquer um dos quatro perfis descritos abaixo.

1. Dominância

Quem marca mais pontos nesse perfil costuma ter um comportamento mais ativo diante das situações, tomando a frente das decisões. Nesse sentido, tendem a serem pragmáticos na busca por resultados mais satisfatórios, e por isso, são competitivos. Fornecer feedbacks curtos e objetivos é uma das maneiras mais eficazes de abordá-los.

2. Influência

Quando o resultado do colaborador indica predominância da influência significa que a persuasão é um dos pontos que mais se sobressaem no comportamento deles. Por isso, ao dar retorno sobre o desempenho deles, o melhor é destacar como a avaliação pode ajudá-los a melhorar.

3. Estabilidade

Um elevado índice de estabilidade nos testes DISC indica que o colaborador consegue lidar com as próprias emoções e com as mudanças de contexto, mantendo-se estável e constante em relação às adversidades. Ao dar feedbacks a esses colaboradores, o mais recomendado é expressar a avaliação com exemplos específicos. 

4. Conformidade

Quem pontua mais na categoria C preza pelas normas da empresa. Por isso, os profissionais com predominância da conformidade tendem a agir de maneira exata, seguindo as regras da empresa. Por isso, ao repassar a avaliação sobre o desempenho profissional, o ideal é explicar a situação a partir das próprias diretrizes da instituição.

A funcionalidade do DISC

Com a análise DISC em mãos, os gestores de RH podem propor melhorias estratégicas nas equipes. Todos os processos do departamento podem ser otimizados e qualificados, impactando índices de qualidade como o turnover e a produtividade.

Ao conhecer as habilidades socioemocionais das pessoas, a gestão fica aprimorada. O poder de decisão é elevado e qualificado. Abaixo, esclarecemos como o DISC impacta cada um dos setores do RH, acompanhe!  

O recrutamento e seleção dos candidatos

Se forem aplicados em processos seletivos, os testes DISC ajudam na identificação dos perfis comportamentais. Desse modo, é possível selecionar os candidatos mais adequados para a vaga em questão, seja ela de liderança, gestão, técnico, ou atendimento, por exemplo.

A cada 10 profissionais contratados pelo currículo, 9 são demitidos pelo comportamento. Esse é o resultado de uma pesquisa realizada pela Page Personnel. Ao conhecer as competências emocionais dos candidatos, fica mais fácil associar com as necessidades da organização e, consequentemente, diminuir o turnover.

O desenvolvimento dos colaboradores

Uma vez que com o teste DISC é possível avaliar os pontos fortes e os pontos a melhorar, os gestores conseguem preparar ações direcionadas para o desenvolvimento de competências específicas nos colaboradores. Desse modo, os treinamentos podem ser mais efetivos.

Os gestores podem elaborar treinos que estejam diretamente relacionados aos pontos de melhorias e o dia a dia dos colaboradores. Dessa forma, o aprendizado é qualificado e a evolução dos colaboradores é maior.

O plano de carreira

Além dos salários e benefícios, o plano de carreira é essencial para conseguir motivar os colaboradores. Quando há uma projeção de crescimento dentro da empresa, a intenção de sair da organização é menor. Pensando nisso, traçar um objetivo profissional pode ser mais eficiente ao analisar o perfil DISC. 

Dessa maneira, ciente das potencialidades e nos cargos em que se enquadra melhor, o profissional — juntamente com a equipe de RH — poderá traçar um plano estratégico para atingir objetivos na empresa, direcionando os talentos.

O feedback mais qualificado

Oferecer feedbacks é uma estratégia de estreitamento da comunicação entre gestores e geridos. Dessa forma torna-se possível alinhar o crescimento do setor e da empresa, buscando não apenas o resultado para a organização, mas também para os colaboradores.

Apontar falhas e pontos a melhorar exige sensibilidade dos gestores para que os colaboradores recebem as observações sobre o próprio desempenho de maneira tranquila. O teste DISC ajuda a orientar o modo de fazer essa abordagem, para que não se sintam injustiçados pela avaliação. 

O perfil e People Analytics

As informações obtidas a partir do teste DISC podem alimentar as bases de dados de um sistema. Combinar os resultados do do DISC com outras informações gera análises mais acuradas de cada colaborador, o que contribui para a tomada de decisões pelo RH por meio do People Analytics.

É possível acompanhar toda a trajetória de crescimento e desenvolvimento de um profissional na empresa. Além disso, é possível destacar os perfis que se destacam em determinadas funções e departamentos.

o que é pesquisa de engajamento

As vantagens de aplicar o DISC

O método DISC permite diversos benefícios, desde que haja capacidade de analisar corretamente o perfil dos colaboradores. Por meio de uma apuração qualificada, o departamento de RH poderá desenvolver melhorias e impactar a vida de todos os colaboradores.

A gestão do capital humano em uma empresa passa pela compreensão de seus valores pessoais e características emocionais. É a partir dessa visão que torna-se possível evoluir e progredir em benefício aos objetivos e metas da organização.

1. Promove o autoconhecimento

O primeiro benefício em conseguir analisar o perfil DISC é a promoção do autoconhecimento. Quando os colaboradores conhecem suas características mais íntimas, pode entrar em contato com habilidades e competências que desconhecia ou deixava de lado.

Todos terão competências que bem desenvolvidas e outros pontos a melhorar, mas só é possível desenvolver suas habilidades conhecendo-as. Por isso, a promoção do autoconhecimento é o ponto principal para o colaborador.

2. Aprimora o trabalho em equipe

Conhecendo as habilidades dos colaboradores é possível estimular a formação de uma equipe de alta performance. É possível conciliar e equilibrar os perfis DISC em um time específico, a fim de fazer com que os colaboradores se ajudem para crescer profissionalmente.

Conhecer os perfis que destacam em determinadas áreas e funções ajuda a entender a qualificação profissional necessária para contratar. Dessa forma, a gestão de pessoas aprimora e evolui.

3. Direciona os talentos

Pensando na gestão de talentos, conseguir direcioná-los adequadamente para os departamento e os cargos é um caminho essencial para evitar turnover e queda de produtividade.

Como dissemos, o processo de recrutamento e seleção é qualificado por meio da análise DISC, mas também a decisão sobre o desligamento ou não de um colaborador pode ser definido por meio dessa análise.

Compreender que o colaborador pode-se destacar em outro setor, em vez de demiti-lo, causa economia e reduz custos.

4. Dá enfoque para o desenvolvimento pessoal

O teste DISC é um ponto de partida para descobrir os pontos de melhoria dos profissionais. Dessa forma, é possível elaborar treinamentos direcionados e, consequentemente, mais efetivos.

Os colaboradores tendem a se sentir mais próximos, pois têm suas necessidades atendidas pela empresa. Em contrapartida, o custo benefício para as organizações que investem em treinamentos aumenta, favorecendo uma equipe de alta performance.

As lideranças a partir dos perfis DISC

A análise do perfil DISC permite conhecer mais também sobre os líderes da empresa. Assim como os colaboradores, os gestores também precisam ser submetidos ao DISC a fim de conhecer qual é a predominância em suas características.

Liderança com dominância em alta

Esse perfil de liderança tende a ter como características marcantes a capacidade empreendedora. São criativos e gostam de desbravar os processos e os percursos a  fim de direcionar os seus liderados.

É um líder que participa da elaboração dos processos e do trabalho, verdadeiramente “mão na massa”. O importante é conseguir alcançar os resultados.

Liderança com influência em alta

A alta influência mostra um perfil comunicativo, capaz de estabelecer laços com as pessoas que trabalha. A liderança consegue influenciar os colaboradores e gerenciá-los de forma amistosa e próxima.

O poder de persuasão é um fator marcante, tendendo a mostrar aos subordinados a importância de seguir as instruções à risca. Os valores de trabalho em equipe são cruciais para esse perfil de líder.

Liderança com estabilidade em alta

A estabilidade está relacionada a características como acolhedor, observador e estruturador. Por isso, líderes com alta estabilidade tendem a serem mais “amigos” e “parceiros” dos seus colaboradores.

Eles temem a rejeição, por isso, buscam sempre o “sim” ao apresentar caminhos para os colaboradores. Tendem a serem mais liberais, permitindo a autonomia para o time.

Liderança com conformidade em alta

A conformidade é um perfil que indica alto apego aos processo e às normas. Por isso, lideranças com esse perfil DISC em predominância tendem a ser mais analisador, criterioso e regulador.

A aplicação do DISC na prática

Como pudemos perceber até aqui, o método DISC pode auxiliar na compreensão em diversos fatores. Por meio dessa análise e autoconhecimento, torna-se possível aprimorar e evoluir na gestão de talentos.

Em um RH 4.0, trabalhar com os dados é crucial. O DISC fornece informações, as quais cruzadas com outras pode oferecer um caminho mais preciso e eficiente para a gestão. Para tanto, é fundamental evoluir no sentido dos perfis.

Atualmente, as predominâncias do DISC foram classificadas em perfis comportamentais que facilitam a compreensão de todas as competências. Esses perfis são mais inteligíveis, ajudando na tomada de decisão.

Os 4 perfis comportamentais

Os resultados do teste DISC podem ser associados ao perfil comportamental dos colaboradores. Desse modo, é possível mapear de forma mais abrangente e profunda as competências e potencialidades de cada um. Isso porque os perfis fornecem ainda mais informações sobre as características do profissional. São eles:

  • comunicador: costumam ser os profissionais mais versáteis e trabalham com autonomia;
  • executores: a liderança é uma capacidade predominante destes colaboradores, que são muito determinados;
  • planejadores: estes profissionais tendem a ser centrados e atuar conforme as normas propostas;
  • analistas: estes colaboradores, em geral, são rigorosos com os resultados, mas costumam ter mais dificuldade para se relacionar com a equipe.

A presença de um software

Para conseguir apurar todas as informações é fundamental contar com alguns facilitadores. Ter um banco de dados é crucial, a fim de não perder nenhum detalhe do que precisa ser conhecido da vida dos colaboradores.

Com o auxílio de uma inteligência artificial, torna-se possível para o setor de RH cruzar dados e gerar insumos para tomada de decisão. Dessa forma, a gestão passa a ser mais objetiva e estratégica.

Fugir da subjetividade é um desafio para o gerenciamento dos talentos de uma empresa e, contar com um Software de gestão é crucial para essa tarefa.

Analisar o perfil DISC auxilia na compreensão do comportamento dos colaboradores nas empresas. Desse modo, é possível traçar estratégias para valorizar e potencializar as capacidades dos profissionais.

Quer saber mais sobre como utilizar o teste DISC na sua empresa? Leia mais sobre como aplicar a metodologia DISC!

0 0 vote
Article Rating


Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments