Como analisar o perfil DISC corretamente

Tempo de leitura: 6 minutos

Uma das ferramentas mais poderosas para uma gestão eficiente de Recursos Humanos é prever as reações dos colaboradores às situações e aos desafios do ambiente corporativo. Essa informação auxilia nas tomadas de decisões para promover recrutamentos, seleções, capacitação e atividades para o desenvolvimento das equipes. Por isso, saber analisar o perfil DISC é fundamental.

As habilidades comportamentais — também conhecidas como soft skills — são subjetivas. Ao contrário das capacidades técnicas, é preciso de testes e metodologias diferentes para conseguir detectá-las em cada um dos candidatos.

Mas como obter esse dado tão subjetivo? Apesar da profusão de possibilidades, a psicologia consegue definir padrões de atitudes que são tomadas pelos profissionais. Ao analisar o perfil DISC, os gestores de RH e psicólogos podem apontar esses modos de conduta.

Continue a leitura para entender o que fazer com os resultados do perfil DISC. Leia até o fim!

https://drive.google.com/file/d/1N-Hh7HWo8yWcyp0VtLm5Yk1qenYYebi-/view?usp=sharing

A criação do DISC

A descrição dos perfis DISC foi desenvolvida pelo psicólogo William Moulton Marston em 1928, com a publicação do livro “As Emoções das Pessoas Normais”. Naquela época, a obra não era voltada para gestão de pessoas, mas dissertava sobre quatro principais dimensões do comportamento humano: dominância, indulgência, submissão e compliance. São das iniciais que tem origem a sigla DISC. 

A teoria criada por Marston leva em consideração o peso de pressões internas e externas na tomada de decisões pelos indivíduos. Por se tratar de uma avaliação comportamental, analisar o perfil DISC dos profissionais se tornou uma atividade cada vez mais popular também entre os gestores de RH. 

Para possibilitar esse monitoramento, diferentes ferramentas foram criadas e desenvolvidas. Walter Clarke, também psicólogo, utilizou os estudos de Marston e, em 1945, desenvolveu um instrumento para detectar o perfil DISC das pessoas. Desde então, essa avaliação tem se aprimorado, até chegar aos modelos atuais de testes DISC. 

O teste DISC

O teste DISC é aplicado por meio de questionários e formulários. Assim, com as respostas, é possível gerar métricas que indicam comportamentos e competências dos colaboradores avaliados. Em geral, os testes são de múltipla escolha, e demandam respostas diretas sobre temas como preferências pessoais, opinião e atividades que mais gosta de desempenhar. O resultado vai apontar a característica dominante do indivíduo. 

A partir dessa análise, os gestores obtêm indícios relevantes para traçar o perfil dominante dos profissionais, incluindo seus pontos fortes e pontos a melhorar, assim como o potencial que podem atingir na empresa.

Essas informações embasam as ações estratégicas que serão tomadas pela equipe de RH, tais quais o recrutamento, seleção, elaboração de plano de carreira, promoções, mentoring, coaching, definição de ações para elevar o engajamento e desempenho das equipes e gerenciamento de conflitos, por exemplo. 

O perfil comportamental

Os resultados do teste DISC podem ser associados ao perfil comportamental dos colaboradores. Desse modo, é possível mapear de forma mais abrangente e profunda as competências e potencialidades de cada um. Isso porque os perfis fornecem ainda mais informações sobre as características do profissional. São eles:

  • comunicador: costumam ser os profissionais mais versáteis e trabalham com autonomia;
  • executores: a liderança é uma capacidade predominante destes colaboradores, que são muito determinados;
  • planejadores: estes profissionais tendem a ser centrados e atuar conforme as normas propostas;
  • analistas: estes colaboradores, em geral, são rigorosos com os resultados, mas costumam ter mais dificuldade para se relacionar com a equipe.

Os perfis DISC

Todas as pessoas têm características de todos os quatro perfis DISC. Contudo, tendem a agir predominantemente conforme um deles. Isso se reflete no resultado do teste, que pode apontar para qualquer um dos quatro perfis descritos abaixo.

1. Dominância

Quem marca mais pontos nesse perfil costuma ter um comportamento mais ativo diante das situações, tomando a frente das decisões. Nesse sentido, tendem a serem pragmáticos na busca por resultados mais satisfatórios, e por isso, são competitivos. Fornecer feedbacks curtos e objetivos é uma das maneiras mais eficazes de abordá-los.

2. Influência

Quando o resultado do colaborador indica predominância da influência significa que a persuasão é um dos pontos que mais se sobressaem no comportamento deles. Por isso, ao dar retorno sobre o desempenho deles, o melhor é destacar como a avaliação pode ajudá-los a melhorar.

3. Estabilidade

Um elevado índice de estabilidade nos testes DISC indica que o colaborador consegue lidar com as próprias emoções e com as mudanças de contexto, mantendo-se estável e constante em relação às adversidades. Ao dar feedbacks a esses colaboradores, o mais recomendado é expressar a avaliação com exemplos específicos. 

4. Conformidade

Quem pontua mais na categoria C preza pelas normas da empresa. Por isso, os profissionais com predominância da conformidade tendem a agir de maneira exata, seguindo as regras da empresa. Por isso, ao repassar a avaliação sobre o desempenho profissional, o ideal é explicar a situação a partir das próprias diretrizes da instituição. 

O uso dos resultados

Com a análise DISC em mãos, os gestores de RH podem propor melhorias estratégicas nas equipes. 

Seleção

Se forem aplicados em processos seletivos, os testes DISC ajudam na identificação dos perfis comportamentais. Desse modo, é possível selecionar os candidatos mais adequados para a vaga em questão, seja ela de liderança, gestão, técnico, ou atendimento, por exemplo.

Capacitação

Uma vez que com o teste DISC é possível avaliar os pontos fortes e os pontos a melhorar, os gestores conseguem preparar ações direcionadas para o desenvolvimento de competências específicas nos colaboradores. Desse modo, os treinamentos podem ser mais efetivos.

Plano de carreira

Traçar um objetivo profissional pode ser mais eficiente ao analisar o perfil DISC. Dessa maneira, ciente das suas potencialidades e nos cargos em que se enquadra melhor, o profissional, juntamente com a equipe de RH, pode traçar um plano estratégico para atingir objetivos na empresa, direcionando os talentos.

Feedback

Apontar falhas e pontos a melhorar exige sensibilidade dos gestores para que os colaboradores recebem as observações sobre o próprio desempenho de maneira tranquila. O teste DISC ajuda a orientar o modo de abordar os profissionais, para que não se sintam injustiçados pela avaliação. 

People Analytics

As informações obtidas a partir do teste DISC podem alimentar as bases de dados sistema. Combinar os resultados do do DISC com outras informações gera análises mais acuradas de cada colaborador, o que contribui para a tomada de decisões pelo RH por meio do People Analytics.

Portanto, analisar o perfil DISC auxilia na compreensão do comportamento dos colaboradores nas empresas. Desse modo, é possível traçar estratégias para valorizar e potencializar as capacidades dos profissionais.

Quer saber sobre como utilizar o teste DISC na sua empresa? Leia mais sobre como aplicar a metodologia DISC no blog da Solides!


Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of