10 maneiras de convencer seu chefe a usar sistemas de RH

Tempo de leitura: 8 minutos

Convencer e persuadir são coisas que exigem treino, prática e em alguns casos até um toque do destino (para aqueles que possuem habilidades inatas). Mas se isso já é difícil quando estamos falando de clientes, quando se trata de chefes, superiores ou da direção de sua empresa, a coisa é ainda mais dura.

A área de recursos humanos se tornou algo moderno – tanto em termos da tecnologia empregada quanto em relação às rotinas e estratégias empregadas. Fazer o melhor uso dessas duas frentes é o desejo de qualquer bom profissional da área – mas é preciso, muitas vezes, convencer lideranças a respeito do uso dessas ferramentas.

“Todos estão usando” ou “é obrigatório” são argumentos que, como bem sabemos, não surtem efeito na grande maioria dos casos, exceto quando a pessoa já leva consigo determinada predisposição por um caminho.

Mas calma. Nesse artigo veremos algumas maneiras de convencer seus chefes e diretoria de que aqueles sistemas e plataformas de gestão de pessoas que fariam seu departamento brilhar não apenas merecem uma chance, mas são vitais para a organização como um todo.

Em linha com as metas

Se sua sugestão não apresenta uma relação palpável e plausível com as metas da companhia onde você trabalha, será preciso alinhá-la. Infelizmente, metas como “deixar o trabalho mais simples” não são comuns dentro de empresas na atualidade. Contudo, deixar o trabalho mais produtivo é sempre algo bem-vindo.

Percebe? As duas coisas correspondem praticamente ao mesmo resultado, porém a forma com que são apresentadas podem tornar um projeto seu viável ou rejeitado em segundos. Tente alinha a proposta dos sistemas que pretende usar com objetivos mais imediatos da empresa:

  • Se é preciso reduzir o quadro, essas plataformas podem eliminar problemas nos cálculos de rescisões ou agilizar o processo;
  • Se setores precisam de reformulação, sistemas de análise comportamental podem eliminar os custos do método de tentativa e erro;
  • Se a empresa precisa produzir mais, tais plataformas podem ser usadas para analisar metas de produtividade de pessoal em tempo real.

Cada feature de sua proposta precisa se enquadrar em um objetivo da empresa. Faça isso e você terá seu sistema mais rápido do que imagina.

Todo chefe tem problemas

Na mesma linha das metas da empresa, podemos falar sobre os problemas dos chefes que irão apreciar sua sugestão ou proposição. Todos eles possuem problemas e à medida que você é capaz de resolvê-los, acaba aumentando seu cacife e ganhando espaço para colocar novas ideias e propostas.

As métricas de seu chefe não necessariamente coincidem com aquelas da empresa. Às vezes elas se complementam, às vezes até se contrapõem, mas elas precisam de todo modo estar em sua equação.

Construir reputação

Se o seu departamento não aufere os louros de suas conquistas, dificilmente novos projetos ou a proposta de um novo sistema de RH irá colar. É preciso gerar resultados por antecipação no mundo de hoje.

Para tanto, ponha em dia suas métricas e relatórios antes mesmo de aparecer com pedidos como esse – a ideia é simples: você já produz mais e melhor que seus antecessores, e com a nova plataforma, irá produzir ainda melhor.

Crie um senso de urgência

Se o sistema que você quer pode ser implementado a qualquer momento, daqui um mês, ou um ano, se tanto faz, por que investir nele?

Parece óbvio, mas muitos profissionais desmerecem suas ideias e propostas oferecendo um cronograma indefinido e gerando pouco ou nenhum senso de urgência. É preciso criar urgência – seu sistema precisa ser implementado hoje, ou consequências virão:

  • Concorrentes já operam com sistemas assim;
  • O custo de contratações e demissões é maior;
  • Há riscos de perda de dados;
  • Relatórios podem ter dados defasados, que afetem decisões da empresa.

Faça com que sua proposta tenha uma data para implementação – e se possível, com prazos exíguos e urgência máxima.

Planos de negócio

Sim, é apenas um sistema para você. Contudo, para a empresa e diretores, isso precisa ser um negócio. Quanto mais recursos você for capaz de economizar com essa ideia, tanto melhor. E, se for possível, o ideal é que qualquer nova proposta gere lucro e até mesmo receita.

Quantifique as virtudes do sistema que você precisa oferecendo um mini plano de negócios. Nele, você irá detalhar não as características técnicas da plataforma, mas sim o como você irá utilizá-la para economizar divisas da companhia e até mesmo maximizar seus lucros ou reduzir seus prejuízos e gastos.

Como todo plano de negócio, é necessário mencionar o investimento, necessidades de treinamento e adaptação, tempo de implementação, recursos-chave, números financeiros e também construir um modelo que permita prever os resultados e posteriormente acompanhá-los por meio de métricas e relatórios.

Apoio de colegas

Se seu sistema apenas auxilia você mesmo. Ou se nenhum colega, líder, chefia ou mesmo departamento consegue perceber valor em sua ideia, a probabilidade é de que ela nunca vá para frente.

Seja político. Angarie apoio de outros membros e colegas do RH, de outros departamentos, de diretores e até mesmo de gente relacionada com a empresa, como clientes, fornecedores, consultores e analistas.

Cada voto a mais pelo seu sistema é uma espécie de mini certificação de sua ideia. Uma validação que é apreciada, muitas vezes, de forma numérica e quantitativa por lideranças.

Apresentações personalizadas

Se você quer vender uma ideia, precisa conhecer o cliente. E uma vez que nem todo cliente é igual, não faz qualquer sentido vender a todos eles do mesmo modo. Os chefes que decidirão a respeito de um novo sistema de RH ou gestão de pessoas são, em muitos aspectos, clientes.

Eles são atendidos por você como profissional, e para que invistam mais em seus serviços, precisam sentir vantagens nisso. Só que cada um valoriza um aspecto diferente. Algumas chefias valorizam a tecnologia, outras a produtividade, outras ainda valorizam a tradição, o que pode ser um problema.

Para cada uma dessas frentes, seus argumentos, discurso e até apresentações precisam ser diferentes, quase que personalizadas. Se você está vendendo no geral, terá de contar apenas com a sorte para passar sua proposta adiante.

Reduza custos

Reduzir custos é a forma mais eficaz de elevar a probabilidade de evoluir qualquer projeto empresarial, especialmente nos dias de hoje, pautados por uma crise. Enxugue seus custos e apresente propostas competitivas, como se estivesse querendo mesmo ganhar um cliente.

Ofereça testes, experimentos, formas baratas de avaliar alguns resultados antes que sua chefia tenha de fato que desembolsar grandes investimentos ou empregar recursos maiores. Como numa venda tradicional, o test-drive sempre funciona no sentido corporativo. E, para sua sorte, a grande maioria dos fornecedores de sistemas e plataformas, em recursos humanos ou qualquer outra área, oferecem períodos de teste ou avaliação para seus produtos.

Envolva as pessoas

Não adianta criar projetos isolados, é preciso envolver gente. Colegas, subalternos, lideranças de outros departamentos. Gente que possa comprovar que sua solução é a melhor – em vendas, estaríamos falando de depoimentos e embaixadores da marca ou produto.

O mesmo acontece aqui. Você precisa envolver mais gente, não apenas pessoas que queiram o sistema que você deseja implementar, mas pessoas que acreditem que essa é a melhor resposta e também estejam decididos a lutar para consegui-la.

Tente, antes mesmo de criar apresentações para a chefia, mostrar sistemas a colegas e parceiros dentro da organização, permitindo que eles inclusive se envolvam no projeto ou proposta, fazendo modificações, sugestões e ajudando você a criar o cenário ideal para a implementação de novos padrões e paradigmas.

Essas pessoas, aliás, será igualmente importantes em fases posteriores, quando o sistema já estiver em implantação. Elas ajudarão com treinamentos, desenvolvimento de aplicações, difusão do sistema na empresa e também serão beneficiadas direta e indiretamente a partir dele.

Conheça o que você oferece

Conhecer a fundo significa basicamente agir conforme duas diretrizes: primeiro, pesquisar a fundo, avaliando se o sistema escolhido é mesmo o melhor, se oferece tudo o que você precisa e se possui uma boa equação entre custo do investimento e resultados. Também é preciso avaliar possíveis concorrentes desse sistema.

Em segundo lugar, é preciso que você utilize ou tenha utilizado esse sistema que tenha ideia do que esperar dele e sabia porque suas capacidades, ferramentas e funcionalidades tornarão a vida dentro do RH e na empresa em que você trabalha mais fácil.

resultados-cta-blog

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of